7 discos marcantes de Zeca Pagodinho, por Luiz Antônio Simas

“Água da minha sede
Bebo na sua fonte
Sou peixe na sua rede
Pôr do sol no seu horizonte” Dudu Nobre e Roque Ferreira

Do Zeca Pagodinho descoberto numa roda de samba no Cacique de Ramos em 1981 por Beth Carvalho mudaram, principalmente, “os quilinhos a mais”, segundo palavras do próprio. A fartura a que o rapaz humilde, criado em Xerém, no interior do Rio de Janeiro, passou a desfrutar, tem a ver com uma carreira que, desde que começou, não interrompeu mais a rota de sucessos.

A comemoração dos 60 anos de idade amanhã, dá início a um calendário que conta com o lançamento de uma cinebiografia dirigida por Roberto Faustino e Marcos Altberg, inspirada no livro “Zeca Pagodinho: Deixa o Samba Me Levar” (de Jane Barbosa e Leonardo Bruno), sobre a vida do cantor e compositor que, no ano passado, virou tema de musical (“Zeca Pagodinho: Uma História de Amor ao Samba”), e saiu em uma vitoriosa turnê ao lado de Maria Bethânia.