7 discos consagradores de Djavan, por Hugo Sukman

“sabia que vivemos numa rede remota
de tempo e água e ondas e sons e chuva,
sem saber se existimos ou se somos seu sonho.” Pablo Neruda

O surgimento de Djavan na música popular brasileira foi um espanto. O músico nascido em Maceió era diferente de tudo o que então se conhecia. As canções de alto teor simbólico, embaladas por melodias com um feitio pop, levaram o compositor a se tornar um dos recordistas em temas de novelas. O primeiro sucesso foi “Fato Consumado”, que tirou o segundo lugar no Festival Abertura da Globo, em 1975.

Envolvido em recente polêmica após elogiar o presidente Jair Bolsonaro, o cantor chega aos 70 anos em plena atividade. O mais recente álbum foi “Vesúvio”, de 2018. O jornalista e crítico musical Hugo Sukman elege e comenta os sete discos mais marcantes da carreira de Djavan. “O Djavan de hoje é meio assim, um compositor maduro capaz de renovar formatos tradicionais e sempre descobrir novidades na forma musical que inventou e vem inventando desde o primeiro disco”, analisa Sukman.