Wesley Safadão: “É preciso que haja controle sobre o desmatamento”

“A música veio ao mundo para suscitar prazer.” Thornton Wilder

Wesley Safadão, 31, foi o único dentre os 10 artistas mais populares do Brasil a declarar seu voto durante o primeiro turno das eleições presidencias do ano passado. Na época, o cantor, que integrava a lista de vídeos mais visualizados no Twitter e se mantinha entre os recordistas de cliques também do Spotify, anunciou que votaria em Ciro Gomes. O candidato do PDT chegou a ser governador do Ceará e prefeito de Fortaleza, cidade natal de Safadão. Em junho deste ano, o músico protagonizou outro episódio inusitado. Amigo de jogadores como Neymar e Philippe Coutinho, ele foi convidado a entrar no vestiário da Seleção Brasileira de futebol na estreia da Copa América, em São Paulo, acesso que foi negado ao presidente Jair Bolsonaro. Içado à fama como vocalista da banda de forró Garota Safada, em 2007, Safadão passou, com o tempo, a acrescentar cada vez mais misturas em seu caldo musical. “Amor Falso”, gravada com Aldair Playboy e Kevinho, com 370 milhões de visualizações, é um desses exemplos. “A música é uma arte, não é algo fechado, e isso eu gosto e valorizo muito”, informa Safadão, que admite ouvir a voz do povo na hora de decidir o que cantar. Leia abaixo a íntegra da entrevista com o artista.