Ciro Monteiro: O Samba do Formigão da Música Brasileira

“Enquanto teus lábios cantam
Canções feitas de luar,
Soluça cheio de mágoa
O teu misterioso olhar…” Florbela Espanca

Cyro-Monteiro

Há raros casos de formigas que exercem o papel de cigarra. Nessa desordem, Ciro Monteiro se encaixa. O apelido no aumentativo (Formigão), veio em decorrência da criatividade do parceiro Eratóstenes Frazão. A razão permanece misteriosa em tempos recentes. O que nunca foi segredo para ninguém que entendesse do riscado, ou, em outras palavras, de samba, é que o primo de Cauby Peixoto (outro bom de apelido, “Professor”), sempre esbanjou talento rítmico para cantar as preciosidades feitas na época. Claro, auxiliado pela inseparável caixinha de fósforos a fim de marcar o compasso.