Severino Araújo & Orquestra Tabajara (Chorinho)

“Violador enfurecido,
com sua égua Amnon debanda.
Negros lhe dirigem flechas
desde os muros e atalaias.
E quando os quatro cascos
eram quatro ressonâncias,
Davi com suas tesouras
cortou as cordas da harpa.” García Lorca

Severino-Araujo.jpg

O mestre que se intitula discípulo tanto quanto os outros crê na humildade como um sopro. Ligeiro, rastro, sem matéria definida, no entanto tocável, sensível, pela audição de projéteis bascos que rondam ao sabor do vento, ao labor das horas, latifúndio de expectativas e ânsias.

Severino Araújo assim tomou a ordem da Orquestra Tabajara aos 21 anos, como quem ordenha vacas no pasto, deixando-as livres, soltas, para simplesmente estarem, sem dificuldade, vivendo num mundo de verdes, verdades, gramas, granulados.