Entrevista: Sergio Roberto de Oliveira

“ah, a felicidade corteja a luz, então acreditamos que o mundo é alegre; o sofrimento esconde-se à distância, então supomos que não haja sofrimento.” Herman Melville

Sergio-Roberto-de-Oliveira.jpg

Sergio Roberto de Oliveira é nome comum, solto, desconhecido do grande público. E assim deve permanecer nos próximos anos. Isso se compararmos ao alcance em massa de nomes como “Xuxa e Roberto Carlos“. É ele próprio quem cita. Mas avisa: “Da mesma maneira, eles não alcançam a profundidade da música de concerto”.

Indicado ao Grammy Latino nas edições 2011 e 2012, nas categorias ‘Melhor Composição Clássica Contemporânea’ e ‘Melhor Álbum de Música Clássica’, o compositor, que comemora esse ano quinze anos de carreira, resolveu fazer um apanhado de toda a obra, e reunir, num box com quatro discos, “alusivos aos elementos fundamentais: água, ar, terra e fogo”, um pouco de tudo o que o compõe, como define o subtítulo do trabalho, “Quinze”.