Opereta: A Viúva Alegre

“Jamais deves buscar a coisa em si, a qual depende tão somente dos espelhos. A coisa em si, nunca: a coisa em ti.” Mario Quintana

Opereta Franz Lehár

A dúvida se impõe logo de cara: “A Viúva Alegre”, direção geral de Jorge Takla e musical de Silvio Viegas, é ópera ou teatro? O dever dos definidores já nos favoreceu e impediu o prosseguimento dessas perguntas insossas.

Trata-se de uma “opereta”, misto de apresentação onde estão reunidas as matizes de um e outro, pois os atores se dividem entre o canto e a dramaturgia, e a língua encenada pode ser a nativa. Além disso vislumbra-se os figurinos de Fabio Namatame e a cenografia de Paulo Corrêa, curvilíneas e ordeiras.