Cinema: James Dean

“Não é a violência que eu procuro mas uma força ainda não classificada que nem por isso deixará de existir no mínimo silêncio que se locomove.” Clarice Lispector

Juventude Transviada

James Dean me abordou na rua, pediu dinheiro, sacou o canivete, colocou-o rente à minha goela. Parecia galinha em dia de abate. O escritor não deve ter vaidade, pudor nem vergonha. Virou as costas e começou a meter. Sinto falta de porrada. Inspiração de resíduos.

Os cabelos despenteados, loiros e rebeldes. Em seguida, entrou no carro e acelerou. Naquele acidente de percurso, ele morreria. Numa explosão grandiosa. Nunca mais o vi. Deixei cair um lenço na visagem. Seus olhos intermitentes ainda acenaram a agonia.